Histórico


O feijão está entre os alimentos mais antigos, remontado aos primeiros registros da história da humanidade. Foi cultivado pelos egípcios e gregos do mundo antigo, sendo também, cultuado como símbolo de vida. Na Roma antiga usavam extensivamente o feijão em suas festas gastronômicas, utilizado também como pagamento de apostas. A maioria dos historiadores atribui às guerras a disseminação de feijão pelo mundo, uma vez que esse alimento era parte essencial na alimentação dos guerreiros.

 

No Brasil

Arroz com feijão é o nome dado a um prato típico do Brasil. Essa receita não tem uma origem certa, mas a hipótese mais aceita é a de que seria fruto de uma combinação do arroz (de origem asiatica) trazido pelos portugueses ao Brasil com o feijão, que já seria consumido no Brasil pelos índios. Alguns autores apontam o Brasil como o primeiro país a cultivar esse cereal no continente americano. O arroz era o “milho d’água” (abati-uaupé) que os tupis, ainda muito antes de conhecerem os portugueses, já colhiam nos alagados próximos ao litoral. Outra versão afirma que esse prato foi a união do arroz com a feijoada, que tem origem africana ou portuguesa. O que se sabe é que ao longo dos séculos esse prato foi se popularizando por todo o país, passando a ser uma parte quase que indispensável da refeição dos brasileiros.

 

5 dicas incríveis:

1- O feijão na embalagem deve ser conservado em lugar seco, fresco e arejado. Já cozido, no freezer.

2- Principal fonte vegetal de proteína da mesa popular brasileira. O feijão é nutritivo e rico em vitamina B, ferro, potássio e zinco. Possuí carboidrato, minerais essenciais e fibras solúveis importantes do controle do nível do colesterol.

3- Calcule 40g de feijão (não cozido) por pessoa.

4- O feijão pode ser cozido em grande quantidade e depois congelado sem tempero, para ser consumido em porções de acordo com a necessidade diária.

5- Às vezes, ao cozinhar o feijão preto, alguns grãos ficam com a cor roxa dando a impressão de que eles desbotaram, para que isso não ocorra, o laboratório técnico do feijão Delícia recomenda acrescentar sal ao cozimento.